Manual do gay negro para relacionamentos interraciais


Texto original em inglês por Lamar Dawson.

Relacionamentos são complicados. Relacionamentos interraciais então… mais ainda. Portanto use meu guia e poupe-se de dores de cabeça por conta das tensões raciais.

Escolha uma localização racialmente neutra para o primeiro encontro de vocês. Por racialmente neutro refiro-me a um lugar onde a sua raça será neutralizada. Talvez seja bom escolher algum bairro predominantemente branco, num estabelecimento de proprietários brancos especializado em alguma culinária étnica no qual as únicas pessoas negras estarão te servindo ou lavando seus pratos. Permita que seu crush te impressione com a sua gentileza com os funcionários. Esse tipo de ambiente também proporcionará a oportunidade do seu pretendente te contar sobre a época na qual estudou fora, em algum lugar subdesenvolvido, e te mostrar as fotos do trabalho de caridade que ele com crianças negras negligenciadas. Ele também poderá ter a chance de exibir um pouco do “dialeto” que aprendeu. Preste bem atenção. Talvez dê pra aprender alguma coisa. Mais uma coisa: não se irrite caso o/a atendente ignorar sua existência e só se dirigir ao seu par. Deixe-o fazer tudo. Considere essa uma oportunidade para aproveitar melhor o ambiente.

Permita que seu paquera te encha de elogios perguntando como se compõe a sua miscigenação.  Você pode achar que é um insulto, mas na verdade não é. Ele apenas quer que você saiba que ele te considera bonito e exótico. Ele nunca teve muitas pessoas negras ao redor dele para reparar que não são todas iguais. E isso não é culpa dele. Mais outra coisa: permita-o se acostumar melhor contigo deixando-o tocar no seu cabelo sem interrupção. Demonstre que você sabe receber amor e afeto apesar de ter tido um pai ausente e uma mãe solteira e controladora.

Aprecie as histórias sobre o ex negro dele e sobre seu melhor amigo negro. Geralmente não recomendo falar sobre ex-namorados num primeiro encontro, mas o seu pretendente pode fazer questão de te contar tudo sobre os outros homens negros da vida dele. Sobre o cara negro que ele conheceu no trabalho ou o BBF* (Melhor Amigo Negro) dele. Tudo isso por querer que você saiba que ele se sente confortável com a proximidade de pessoas como você e para que você baixe a guarda, Thiaguinho. Quando ele te mostrar fotos do ex dele, ou você as encontrar quando fuçar as redes sociais dele antes do encontro, não se alarme com a possibilidade desse ex ter algum vínculo contigo. Tome isso como um elogio. Ele tem um tipo, talvez um fetiche, e você se encaixa no papel. Sinta-se honrado, lisonjeado e agradecido, Falcão.

Maneira na negritude até que você saiba o quão negro ele é. Quando conversarem sobre seus interesses — hobbies, seriados e música — deixe-o falar primeiro. Desse jeito você aprende o quão pertencente a cultura negra você pode ser. Você não quer assustá-lo logo de cara dizendo que se amarra no Rincon Sapiência. Na dúvida evite assustá-lo escolhendo rappers mais racialmente neutros como Crioulo ou Gabriel Pensador. Estes são mais palatáveis e reconfortantes ao público branco. Mas se o seu boy citar nomes como Racionais e disser que ama Na Fé Firmão, você pode enegrecer um pouco mais. Se não acabará ouvindo que ele é mais negro você. Adicionalmente, se o date se impressionar com sua educação e sua formação acadêmica, não caia matando em cima dele. Direcione sua raiva aonde ela é merecida — nessa mídia que só retrata pessoas negras como preguiças, raivosas e agressivas.

Permita que seu corpo seja objetificado. Provavelmente o tema sexo deve surgir nesse encontro. É muito possível que seu match tenha deixado bastante explícito que ele curte muito homens negros. Não vai precisar nem ficar adivinhando, pois ele não terá problema algum em te dizer essas cinco palavras:”Eu curto muito caras negros”. Quando ele fizer isso prepare-se para uma noite de objetificação e de realização de fantasias — dele, não as tuas. Seu corpo negro agora existe para encenar o negro garanhão/reprodutor que ele sempre fantasiou e você precisa se por a postos pra isso — ;). Sabe como corpos pretos e marrons são vistos como agressivos, perigosos e cheio das molecagens? E como isso muito frequentemente faz com que as pessoas acabem se sentindo ameaçadas por esses corpos e que pessoas negras terminem deitadas no asfalto por conta disso? Então… Entre no jogo. Ele vai amar que você o faça. Sugira que você tem raiva e frustração para descontar na bunda dele. Na cama isso é uma coisa boa. Na sua vida cotidiana isso é uma coisa ruim. Favor não confundir as duas realidades. Mantenha-se vivo, Zulu.

Não precisar fugir de debate político. Depois de terem falado sobre sexo, mude a conversa para algo mais corriqueiro. Pergunte se o boy acompanhou a recente marcha dos supremacistas brancos nos EUA e o que ele acha sobre a demolição de monumentos erguidos os monumentos erguidos em homenagem a grandes detratores da população negra como o Duque de Caxias. Conceda-o a oportunidade que te educar sobre o que significa ser negro no país. Quando você tentar expor seu ponto de vista não se irrite caso te interrompa para fazer o “advogado do diabo”. Tudo não passa de excitação em compartilhar contigo toda a desconstrução dele. Pura vontade de te impressionar. Portanto sinta-se impressionado e não pressionado.

Aprenda a rir de si mesmo. Mesmo que sem querer querendo, o crush pode usar situações racistas para quebrar o gelo. Por exemplo, se vocês esbarrarem com uma viatura policial no caminho para casa ele pode dizer coisas do tipo: “sou trabalhador, doutô”; ou talvez ele sugira “de brincadeirinha” que você entre no prédio dele pela porta dos fundos. Não seja mau humorado, bebê. Ria junto, afinal isso é engraçado para ele. Sabe como é: a microagressão de um pode ser a fonte de risadas do outro. Você não quer ser convidado VIP naquele evento bafo?! Faz o sonso que tu chega lá.


*Best Black Friend

Previous The Dating Sites Game
Next As diásporas da b¡cha preta

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *