Sexo: Editora Empíreo lança projeto e desafia autores


Fala pessoal! Tudo bom? Seguinte, tenho um recadinho para vocês sobre a nossa parceira Editora Empíreo.

Ela começou esses dias uma chamada de envios de textos e ilustrações sobre sexo e tem lugar para o sexo de todo tipo, de toda cor. Lembrando que algumas coisas não são muito legais e que NÃO podem estar no textos, como: zoofilia (vamos respeitar os bichinhos, né?), agressão sexual e estupro (eu sei que tem gente que curte um lancezinho com dor, mas sexo só consentido, né galera?) e incesto (é preciso respeitar a família, seja ela formada do jeito que for).

Estante2

Ah, lembrando que essa é aquela super oportunidade para você por a mão na massa, nesse caso no teclado do seu computador, e deixar de reclamar que o espaço é pequeno para literatura LGBT e que também não há (ou há muito poucas oportunidades) para você falar desses desejos pelas pessoas do mesmo sexo ou por pessoas trans. Bora, que eu quero todo mundo tentando ser um dos selecionados para estar no livro. Ah, se você curtiu a ideia, também ajuda na arrecadação do dinheiro, se não puder com o apoio, ajuda na divulgação ou faz os dois, rs.

Enfim, vou deixar a bola com o material que eles mandaram pra gente e que tem tudo explicadinho, pra vocês.

A Editora Empíreo lançou, em fevereiro, um novo projeto: Muito Prazer: um livro colaborativo sobre sexo. A obra reunirá 40 histórias e 20 ilustrações selecionadas entre escritores do país todo. A editora mais uma vez aposta no financiamento coletivo como forma de viabilizar o projeto.

Esse é o terceiro projeto colaborativo da Editora Empíreo. O primeiro, em 2014, resultou no livro Desnamorados, com 62 autores e 17 ilustradores que escreveram e criaram sobre o amor. O segundo, em 2015, foi O Corvo: um livro colaborativo, uma homenagem ao poema O Corvo de Edgar Allan Poe. Foram 60 textos escolhidos – inclusive de Manaus – e 15 ilustrações com alguns convidados especiais como os escritores André Vianco, Rubens Lucchetti, Cláudia Lemes e Edyr Augusto. A capa da obra foi feita e doada por um dos tatuadores mais famosos do país, Victor Octaviano.

Dessa vez a editora propôs o sexo como tema dos textos, mas, segundo o editor Filipe Larêdo, não significa dizer que será um livro erótico. “O sexo pode receber vários tratamentos. Ele pode ser erótico sim, mas pode ser um drama, uma comédia ou até uma ficção científica e, claro, um texto de não-ficção, as abordagens são diversas. Vai do talento e criatividade do autor .”

Os livros colaborativos têm se mostrado uma oportunidade de escritores e artistas mostrarem seus trabalhos. Apesar de concorrerem – pois, há uma rigorosa seleção de textos – a disputa é bem menor do que a do mercado editorial. Para se ter uma ideia, uma editora jovem e pequena como a Empíreo recebe em média 150 originais por mês.

Financiamento

Desde 2014, a editora – que possui apenas três anos de vida – tem chamado a atenção do mercado ao buscar o financiamento coletivo para viabilizar algumas de suas obras. A ideia base é simples: as pessoas que investem previamente no livro são, em geral, as mesmas que comprariam a obra se ela fosse publicada de forma tradicional.  “O que acontece é uma simples inversão do processo”.

Por regra da plataforma, se a meta do financiamento não for alcançada o livro não é publicado e todos que contribuíram recebem de volta o valor investido.

Para mais informações: (11) 2309-2358 – adriana@editoraempireo.com.br

FB: Editora Empíreo  www.livromuitoprazer.com.br Editora Empíreo: livros colaborativos

Previous A transfobia mata, a gente enterra
Next O Carnaval que aposentei o cosplay de branco e fui denegrir-me

1 Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *