Ay,caramba! 20 anos de “En Extasis”, álbum marcante de Thalia


Foi em 1997 que os brasileiros conheceram melhor a porção “cantora” da atriz mexicana Thalia, graças ao disco “En Extasis”. Até então, poucos sabiam que os temas de abertura da trilogia teledramatúrgica “Maria do Bairro”, “Marimar” e “Maria Mercedes”, da Televisa, eram cantados por ela. Quando o SBT exibiu o “Festival Viña Del Mar” no Chile, com sua participação (além de outras grandes estrelas da música brasileira como o grupo “É O Tchan”) e atingiu repercussão positiva, a EMI decidiu lançar por aqui o álbum em CD e K7. A recepção do público do Brasil não poderia ter sido melhor. Thalia recebeu, posteriormente, pelas mãos do apresentador Gugu Liberato, no palco do programa “Domingo Legal” (SBT), o certificado de ouro pelas vendas superiores a cem mil cópias.

nossa senhora do comeback

“En Extasis” foi o trabalho que abriu o caminho do mercado internacional para a “cantriz” mexicana e rompeu as barreiras do idioma hispânico. Antes restrita à América Latina, foram as telenovelas que a popularizaram para além das fronteiras e atraíram a atenção da companhia EMI-Latin, que lhe ofereceu um contrato com a promessa de expandir seus domínios e refinar seu repertório, com um álbum que lhe permitisse usar de todas as suas facetas e ecletismo ainda não bem explorados em seus lançamentos anteriores.

O álbum contou com o apoio de dois produtores: Oscar Lopez e Emilio Estefan, este último, responsável pelo sucesso de sua esposa, Gloria Estefan, cedeu-lhe a canção que atrairia o público aos seus pés: a cumbia “Piel Morena”, escrita por Kike Santander. Inicialmente composta para figurar no álbum “Abriendo Puertas” de Gloria, acabou sendo descartada. Em seu primeiro encontro com Emilio em seu estúdio, “Crescent Moon”, a música lhe foi apresentada a critério de teste. Naquele instante, Thalia sentiu que aquela canção era especial e ficou tão eufórica com a audição que no mesmo dia gravou as bases.

“Piel Morena” foi eleita a primeira faixa de trabalho do álbum a ser divulgada e foi executada com amplitude nas rádios. Uma versão remix com foco nas pistas de dança foi feita pelo DJ Pablo Flores como forma de apoio a promoção. A pop dançante “Amandote” (Ricky Vela/ A.B Quintanilla – irmão da cantora Selena, falecida em 1995) teve vídeo gravado em Miami Beach, com a participação de Julio Iglesias.

https://www.youtube.com/watch?v=XAxLj-9FkeE

“Gracias a Dios” foi um outro hit, que ganhou um vídeo um tanto polêmico para a época. Fetichista, Thalia faz de tudo para atrair a atenção do seu par, com pitadas de sadomasoquismo. Com o insucesso das investidas, só quando ela se despe da fantasia e é ela mesma, é que o seu namorado se interessa. “En Extasis” também tem seus momentos de romantismo, como visto em “Quiero Hacerte el Amor”, na sexy “Me Erotizas” (versão em espanhol escrita por Thalia para “Sur Des Musiques Erótiques” gravada originalmente pelo francês Herbert Léonard em 1987) e também na faixa “Fantasía”, na qual imprime um belo tom grave.

Competente nas canções que exigem versatilidade na voz, Thalia demonstrou evolução, já que, ao invés de gritos estridentes como outrora, sua voz foi domada, vestindo-se de veludo, dando lugar a registros antes não explorados. Ainda assim, em “Llevame Contigo” (confesso aqui ser a minha favorita) ela deixa escapar a agressividade nos rosnados na parte final da canção.

A mexicana também surge como co-autora na canção-tributo “Lágrimas”, uma homenagem a Alfredo Ordáz, seu namorado e produtor, vítima de um infarto fulminante em 1992. Na letra, identifica-se referências a antigos sucessos em trechos como “Tu cuerpo me mataba” (alusão a “Me Matas”)/Y en silencio descubrías mi intimidad (alusão a “En La Intimidad), ambas do disco “Mundo de Cristal (Fonovisa/1991), último a ser produzido por ele. Com “Lágrimas”, Thalia encerra temas sobre fluídos corporais, iniciados com “Saliva”, com sequência em “Sudor” e “Sangre”.

Visando abocanhar um público mais maduro amante de boleros, surgiu”Me Faltas Tu”, aos moldes de outro grande nome do gênero, Luis Miguel. Seu visual também sofreu felizes mudanças: nada de estampas exageradas ou de teor duvidoso, também nada de maiôs cavados com cauda, flores ao redor do bustiê, deixando-a cafona . As fotos assinadas por Adolfo Perez Butron (o mesmo que a clicou para o disco “Love”/92) mostram-na de jeans, com um look mais adequado, como uma modelo de um famoso editorial.

“En Extasis” foi um sucesso mundial e representou um salto significativo para a carreira de Thalia. Tendo como principal aliada as telenovelas em que atuou como protagonista, funcionando como chamariz, a cantora continua a ter livre acesso em todos os lares das mais diferentes classes sociais e ainda arrebata audiência nas incessantes reprises que canais de TV proporcionam ao seu saudoso público. Impossível ouvir “Maria la del Barrio” sem se sentir tentado a dançar.

thaliaenextasingles

Previous Por que macho tem medo de bicha?
Next Eu vejo Kate: O despertar de um serial killer, de Cláudia Lemes

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *