Quadrinhos autobiográficos de uma lésbica


Alison Bechdel, autora do premiado Fun Home, lançado no Brasil pela Conrad Editora em 2007, cuja obra entender não só o relacionamento com o pai, mas os motivos que o levaram a cometer suicídio e também sua homossexualidade, bem como a do pai.

Assim, Fun Home é um trabalho de reconstrução autobiográfica em quadrinhos, permeado de referências literárias, que são frutos não de um trabalho ficcional que busca certo refinamento estético, e sim oriundos da própria formação da autora, que não só é formada em Letras, como também teve uma formação e construção como leitora dentro de casa. Seu pai era um professor de Literatura. A casa? Uma funerária.  É daí o Fun do título, uma abreviação de “funeral”. Dois aspectos que vão dando o tom da graphic-novel de Alison.

Em Você é minha mãe? lançado no final do ano passado pela Companhia das Letras, por meio do selo Quadrinhos na Cia, Bechdel aborda o seu relacionamento com a mãe, mas não faz o retorno à infância, como no livro anterior. Ela se encontra viva e a narrativa surge no momento em que Alison decide escrever sobre o pai, intercalando com o processo de escrita sobre a mãe e as suas sessões de análise, na qual ela vai tentando entender, e aí sim as memórias de infância com a mãe vão surgindo, o relacionamento que se propõe a perscrutar.

Se em Fun Home, Bedchel insere bastante referências literárias, em Você é minha mãe? não é diferente, elas estão lá, principalmente de Virgínia Woolf, mas perdem o destaque para textos de psicanálise, os de Freud e os de Winnicott, primordialmente.

Assim, por meio da psicanálise e de sua experiência de vida, Alison, diríamos, além de questionar o próprio relacionamento com a mãe, questiona também os nossos paradigmas do “ser mãe”, do papel que espera que essa mulher exerça na vida de seus filhos, do modelo que ela deve ser para a menina, como também tenta compreender o relacionamento dessa mãe com o pai, em um segundo plano.

Entender a relação com mãe torna-se algo premente não apenas para a interação entre as duas, mas para a compreensão de si mesma e dos relacionamentos lésbicos que estabelece, processo esse buscado nas sessões de análise que Bechdel faz durante sua vida.

Alison Bedchel por Alison Bedchel. Fonte da imagem: SVA Library.
Alison Bechdel por Alison Bechdel. Fonte da imagem: SVA Library.
Previous Obrigado, viadagem!
Next Veja só, a heterossexualidade não existe!

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *